terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Palavras terapêuticas!


gôndola, cutícula, leguminosa, tubérculo, goma, lamparina, texugo, Olegário, alpargatas, Bloomberg, Ginkgo Biloba, oligarca, balaústre, emplastro, oblongo, formaldeído, sopa, âmbar, lontra, estorvo, mambo, Zimbábue, Mirra, apalpar, Kino, Baobá, Shangri-La, mordomo, Colomba Pascal, pantone, Salompas, varanda, pomposo, polar, tango, malemolente, fangória, fervo, zebra, embuste, condolência, capote, mambembe, fleumático, flâmula, estampa, bambu, Jocasta, pinball, feérico, Oklahoma, Tépido, bermuda, amplexos

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Business: SUSHI UAÍ SÔ

Proposta de Franquia

" SUSHI UAÍ SÔ

A mineirice invade o Japão 

Cardápio:

Temais? (Temaki tradicional) : : 

Temais desse? (folhas de Nori, recheado com berinjela grelhada em cubos, shoyu, gengibre e requeijão cremoso da serra da canastra) 

Temais aki (Folha de couve sapecada no azeite, queijo fresco, gergelim, atum.)

Temais dondecevem (Nori, arroz, bacon, salmão, cebolinha e requeijão)

Temais procê (Nori, arroz, abobrinha grelhada, creme de milho, peixe branco e pimenta) 

Simexe (Cogumelos na manteiga, farofa de toucinho e ovo de codorna) 

Tempurá prossêis (Camarão e bacon e mandioca fritos em massa fofinha)

Oiuchero du missô (Tradicional caldo à base de pasta de misso, alga marinha e peixe, com deliciosos nacos de milho, pimenta de cheiro e folhas de ora pro nóbis.) 

Huramaki Denduforno (Pururuca quebrada com repolho, cenoura e limão, enrolada na massa deliciosa que todos conhecemos, assada por quarenta horas no fogão a lenha.) 

Íaquisobra? (Versão do Yakissoba; espaguete ao shoyu, tutu de feijão, ovo cozido picadinho, toucinho, carne moída, acelga, cebola, alho e pimentão.)

Bão tamém (Uramakis de risoto com queijo serra da estrela, recheados com peito assado de galinha caipira e pasta de wassabi com gengibre)

Sushis diversos (Todos com queijo meia cura, arroz e couve)





Buscou a visão: Astro Miau


sábado, 26 de novembro de 2016

SIDRA TEM VALIDADE (2015)?

Comprei um peru em Março (2016), que era de Novembro (2015), que será assado agora em Dezembro (2016). Um panetone em Fevereiro (2016), que foi feito em Outubro (2015), que estou degustando agora em Novembro (2016). Nesta ceia, de sobremesa, teremos ovos de Páscoa que comprei em Setembro (2016), mas que foram feitos em Maio (2016).
 



AstroMiau não desperdiça!

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Sufoco


Salada de batata: Você morde e é MAÇÃ!

Farofa com Bacon: Você morde e é MOELA!

Berinjela frita e empanada..........JILÓ!

Frango desossado? "croc" de cartilagem.

"Oi, gata!", para a Ana Claudia, a micareteira de longos cachos, mas é Julio Zazauera, o metaleiro de longos cachos.









 Astromiau
Arts Insolites HOJE e não AMANHÃ

O despertar do psicopata.



Sentado no quebra mar avistei uma carcaça humana. As ondas desembarcavam encavacadas, borrifando espuma e algas quebradas. Pus os pés na areia, no único pedaço estreito que faltava para a água cobrir. Afundei um pouco. Uma cabeça podre flutuou mansa; e aqueles esparsos cabelos em tufos sugados tocaram o peito do meu pé. Pulei no quebra mar, tomado pelo nojo. Saltei sobre a barriga inchada do cadáver. SPLUSH. Um recheio verde musgo salgou todo o meu corpo. O vento aumentou a vazão e empurrou em minha boca um creme azedo que não identifiquei. Raivosamente sapateei na carcaça. Oleaginosa, desfez-se. Voltei para casa. Pus refrigerante no copo. Abandonei o copo na pia. Algo me encucava. Abri a geladeira e retirei um frango frito de duas luas atrás. Desfiei a carne mofada e, com um osso bonito em mãos, mergulhei-o no copo de refrigerante. Dormi. De manhã tirei o osso do copo e o apertei. Oleaginoso, desfez-se. Encucado, pensei: "Preciso fazer mais testes".

sábado, 5 de novembro de 2016

20 ver

0 berto, vo 70 tuagem?

Sim, 30 contar e vai se perder. 

Uma, duas, três, quatro, cinco...

60 no sofá que vai cansar, hein?

10 sisto! Já almoçou?

5 mi, valeu.

E a moral 10 te nosso papo?

Em cabeça inteligente 90 por um ouvido e sai pelo outro. 

É nóis, véi!

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Demanda #4

Como inovar ao escrever histórias de Extraterrestres:

Adolescentes de Saturno amam o planeta Terra; amam mais ainda os humanos e sua cultura. E o que pode ser melhor que o bom e velho Rock n Roll para agitarem sua monótona sociedade? "É um, é dois, é um, é dois, etês, vai!"

Um padre é abduzido para realizar um exorcismo em um marciano possuído por Pazuzu após contato com um clássico filme de horror. 

Astronautas retornam a Lua dois anos depois de terem deixado um cachorro em uma cápsula com ração, água e oxigênio. O que eles encontram é pavoroso.

"UFO PORNO" foi um viral no YouTube que atravessou a galáxia. Venusianos truculentos partem para o planeta Terra para checar a veracidade deste vídeo excitante. 

Como inovar ao escrever histórias de Tabu

Umbandistas realizam cultos onde dividem por zero na calculadora. 

Homem casa com um cavalo; anos depois descobre que o equino é pansexual e principal suspeito do estupro de um mamoeiro. 

De acordo com o departamento de justiça do novo governo, Modificação Corporal é obrigatória dentro dos presídios brasileiros. De piercing a tatuagem tudo é rotulado de acordo com o tipo de crime. 

Hipnólogo massifica suas sugestões de incesto durante palestras. Uma detetive deficiente auditiva tenta impedir a ascensão dele como celebridade.

Como inovar ao escrever histórias dos subgêneros Punk


Toda a natureza que corria risco de extinção é miniaturizada e guardada em cubas de cristal, graças a adaptações na tecnologia do colisor de hádrons. Aos poucos as pessoas percebem a ironia das cidades ainda mais cinzas. (Greenpunk)

O campeonato de misturadores deste ano está com os ingressos esgotados. Todos querem ver o Caminhãocicletanibuscarro que usará cinco mil litros de gasolina para percorrer apenas 1km. (Dieselpunk)

Na final do campeonato de Foot & Ball, o time de jogadores de cartola, Rififi, joga contra os jogadores com perna de compasso, Saltin Carpem. Na technoarena de gramado virtual, a tradicional bola de capotão vai se perder diante das suas muitas imitações holográficas. (SteamPunk)

No Brasil, Governo do Estado de São Paulo se destaca pelo novo sistema de tomadas com cinco entradas. Hackers Necromantes descobrem que podem ressuscitar mortos através da combinação das tomadas com benjamins chineses. (CyberPunk)

sábado, 8 de outubro de 2016

Locuções Aladas


(S.Ferrari & L. Câmara Cascudo *in memorian)

Eram nove irmãs numa casa
Uma foi fazer biscoito
Deu o tango-lo-mango nela,
restaram oito

Ávida correu a oitava
foi mascar chiclete
pois veio tango-lo-mango
Aí dela
Sete.
Resolveu fazer pipoca
Cadê o sal?
Tango-lo-mango nela
Seis irmãs numa casa
Uma foi fazer panqueca
Caprichou na massa
Tango-lo-mango nela
A quinta irmã ouviu um grito
pois a quarta comeu buta
Buta é amarga
tango-lo-mango nelas
A terceira irmã fez carne
Grudou tudo na panela
Raspou o fundo
Tango-lo-mango nela
A segunda irmã desconfiou
achou que era parlenda
e na cantiga comeu paçoca
Tango-lo-mango nela
Essa uma, meu bem,
a que ficou;
Meteu-se a comer feijão:
Deu o tango-lo-mango nela,
Acabou-se a geração

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Seção Tela Plana

Se a televisão brasileira fosse transmitida do paraíso:


Gugu na minha casa:
"Tem sofá na sua casa, Altair?"
"O senhor tá sentado nele."
"Ganhoooooou"
Bem Estar:
"Está ótima a degustação de cervejas artesanais, não é doutor?"
Programa da Fátima:
"Nossa convidada de hoje faltou, então vamos encerrar mais cedo."
A tarde é sua:
> Canal pago exclusivo do inferno.<
A fazenda:
"Ovelha é o peão líder da semana por ter sacrificado seis galinhas pra Baphomet." Transmissão simultânea do Inferno (pay-per-view)
JN:
Amém..

Se a televisão brasileira fosse transmitida do inferno :

Gugu na minha casa:
"Agora, pra ganhar você tem que ter alguma coisa que te deixe com cheiro de hospital. Valendooo"
"Puta que pariu, hihihi, tá com cheiro de UTI. O que você passou aí? Phebo óleo de rosas. Muito bem. Ganhooooou."
Bem Estar:
"Cabide no cu dá osteoporose sim, não é doutor?"
Programa da Fátima:
"Nossa convidada está morta. E hoje vai virar apresuntado Sadia. Alguém da plateia quer fatiar"?
A tarde é sua:
"Nós vamos falar hoje sobre a mulher que virou apresuntado no programa da globo. Gente..."
A fazenda:
"Ovelha é o peão líder da semana por ter sacrificado seis galinhas pra Baphomet."
JN:
Buenas, filhos da puta.

sábado, 1 de outubro de 2016

PINTANDO TEU QUARTO

_____________________
Quem é você?
Sou a caquinha de nariz.
Na parede?
É, ué!
Sai daí, pô!
Num posso. To grudada.
Eu preciso pintar essa parede.
Bem... sou parte do cara que te mandou pintar a parede.
Aí, logo no cantinho...
A cama era colada aqui, sabe?
Tô percebendo.
"scrat, scrat"
Epa, pera lá, que é isso, senhor? Opa!
Vai ter que sair.
"Tuc"
Oi.
Nossa, que negócio é esse agora?
Oi, cara de bolota. Eu sou a flunfa.
Eu preciso pintar essa junção aí, ô madame.
hi hi hi
E nem sei que raio que é funfa.
Flunfa, seu feioso, eu sou de dentro do umbigão do cara que te mandou pintar aqui.
Deus me livre.
hey...
hey...
HEY... Logo aqui...

AH NÃO, QUI QUI É ISSO?
Prazer, remela.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Dancing Days

A certinha parou no meio fio quando viu um broto chocante à beça.

"Putz grila, que pão!"

Pensou logo em chamar ele para uns birinaits.

"Boa pinta, curte cuba libre comigo?"

"Achei o convite duca, adoraria dar uma esticada. Só to meio grilado de ir nessa onda pois tô numa patavina de lascar. Não prefere dar um tapa na macaca sem choro nem vela?"

"Tu é mocorongo? Não transo essas paradas de estourar a boca do balão. Tá pensando que berimbau é gaita? Pega leve, chapa. Vou nessa".

O rapaz, ligeiro, descolou uma certeira em voz alta:

"Felina, esquece meu lero, topa um pé de valsa na calçada?"

Foi batata.

"Joia, goiaba, tô contigo e não abro!" 

;)

E dançaram.

sábado, 20 de agosto de 2016

GP PAPAGAIO NA HÍPICA DE PIPAS

        

Bem vindos de volta, amigos ouvintes, aqui na rádio Requinte, AM 890. Todos agitando as apostas em direção à pista, as pipas já estão no alto e a raia está macia. É o Grande Prêmio Papagaio na Hípica de Pipas!

Estamos no segundo páreo do dia e os apostadores ficaram agitados depois que o jóquei Cariacica fez barba, cabelo e bigode nos últimos metros da linha de chegada. Adoniran, o quê você achou do grande impulso que o cavalo Trisco proporcionou na primeira corrida? 

― César Augusto, eu nunca considerei Trisco um azarão, muito pelo contrário. Embora, na temporada não tenha mostrado grande preparo, hoje deu um belo drible, que levou a pipa dos dois ossos duríssimos de roer, Coentro e Whatabout.

― Também leva crédito Cariacica, o jóquei...

― Com toda certeza, César. Em forma e com um domínio exímio da linha.    

Thunder Taio no box numero um, Lilica Disbíca no número dois, Chileno mordendo a porteira três. Raia de Puxe, na marca quatro, Envenenado relinchando para os dois mil e quatrocentos metros que lhe aguardam e, por fim, Embolera correndo pela pista seis, todo lustroso, o famoso Embolera!      

Frango assado delivery? Agora tem. Restaurante Carlão do Frango. Chega a penosa quentinha. Zero, operadora, onze, nove, nove, quatro, sete, nove, dois, dois, treze.

Foi dada a partida / Thunder Taio toma a ponta / o peixinho tricolor bica o ar atrás de uma vítima / Embolera dá um zerinho no meio do páreo tentando cortar na lata / espatifa a rabiola do Lilíca / Alamir Fubá se desespera / recupera Lilíca, com a carrapeta dando flechada na direção de Envenenado / Faz sinal com o dedo, Roni Horroroso, enquanto empina Envenenado.

― Ou, Envenenado empina Roni Horroroso! ―

Alamir Fubá, ginete de Lilíca Disbíca, tem apenas um metro e trinta de altura e carrega um dos maiores latões de linha.  Aquele achocolatado de cinco litros, Adoniran.

(RISOS)

― A raia verde limão do Thunder Taio, comandado pelo experiente Popolino, passou de longe todos os demais. Incrível! ―

Sim, lotadão. Com a cabeça baixa demais, Embolado diminui a velocidade... 

― Eu tenho medo, César, que o Embolado de uma pirueta com o focinho enterrado no chão. ―
É mal do nome... Duas cabeças pau a pau e no céu um baile entre arraia e pião... Que magnífica pipa pião do Raia de Puxe, Adonis; show de multicores e um rabãããão.   

 

Gilete Fino do Fino, a gilete oficial da família Ramos        

Chileno relincha atrás de Emboleira / Dirrã espoleta o equino que responde com coices / Chileno desvia com ótimo reflexo do novato jóquei Guerreiro / ambos descarregam o carretel / que duelo! / Roni Horroroso avança com a linha sangrando os dedos / gira com outra mão um pedaço de brita / estratégia, Adoniran?      

― Vai tentar laçar e taiar. ―

Minha Nossa Senhora de Tibiriçá, a pipa de Lilíca rasgou com a laçada de Roni Horroroso!

― Claramente sem querer, César. Essa pipa está descontrolada! ―          

Ah, que isso, ela está descontrolada... Faltam quatrocentos metros / Raia de Puxe empina / Jango na garupa disbica seu pião pra baixo / Vai dar relo / Vai dar relo / Deu relo! Reloooooooooooou! / Mandou o Thunder Taio buscar a pipa lá no Oiapoque e o Popolino está em fúria, xingando a mãe do Jango e dizendo que ela empina pipão de trinta sem camisa na laje.    

― Fácil falar, difícil imaginar, César Augusto, mas a verdade é que o cerol do Raia está a maior faca. ―         

E a corrida não para / Emboleira se aproxima da curva de chegada / Dirrã solta linha / Chega ao encalço Lilica/ tá com fome de papagaio o Alamir / Envenenado cruza em diagonal / uma, duas, três pistas / Roni Horroroso enrola a linha/ Dirrã está com um fone de ouvido e um radinho preso na cintura. Espero que esteja ligado aqui na Requinte, AM 890.        

― Além de quase derrubar a lata de linha, César, o Dirrã também está fazendo uma ligação pelo celular. ―    

Quanta imprudência, Dirrã! / Avança Popolino tentando erguer uma nova pipa / sem pipa não se ganha o GP / Raia de Puxe chacoalha a crina / Jango descarrega o carretel com um corpo inteiro de vantagem / o céu está preto e a corrida nos metros finais, Adoniran.

― A chuva não é o problema, todos temem a força do raio. ―     

Hortifruti Satoshi, vem do campo a solução para o colesterol.
 
Chileno e Envenenado cabeça a cabeça / Quem vai levar? / mantém um ritmo preciso, Raia de Puxe / Lilica toma fôlego / Popolino dá sinal com uma enorme rabiola azul.    

― Ele usa apenas sacolas recicladas ao confeccionar estas espalhafatosas rabiolas. ―                 
Lilica Disbica empina / Chileno contorna Embolera / Roni disbica para direita / solta linha tentando amanteigar Thunder Taio / dá um salto para a raia numero um o cavalo Trisco / opa, o Trisco? / todos em polvorosa / invadem a corrida Trisco e seu ginete Cariacica!           

― Olha lá, olha lá! Os seguranças vão pular também na pista. O jóquei está com uma mochila térmica do restaurante Carlão do Frango. ―

Os invasores cruzam uma, duas, três, quatro pistas / encostam-se a Lilica Disbica / Envenenado separa os dois como um foguete / Os seguranças puxam os cabelos sem ter o que fazer/ Cariacica equilibra um frango assado na mão / Alamir manda jogar / é arremessado o frango / tropeça Trisco / são os metros finais / parece suculento o frango / doidinho, doidinho o Alamir.           

― Cariacica faz bico no restaurante do Carlão e provavelmente atendeu uma ligação do jóquei Alamir Fubá. Não sei não, vai ser cancelado este páreo. ―
            
Que rapidez de entrega, Adoniran. / Estamos chegando à reta final / Envenenado decola / enroscam-se três linhas no alto / Raia de Puxe arrasta a todos / Trisco morde o rabo de Thunder Taio / Cariacica passa voando pela linha de chegada / Que emoção! / Guerreiro desliza na raia quatro / derruba Alamir, que perde o carretel / voa longe o peixinho / Envenenado tira uma fina do Raia de Puxe / cabeça a cabeça / cabeça a cabeça / É mais um relo! Reloooooooou! / Foram as duas pipas pro vinagre / Cruzam, cruzam, cruzam a linha de chegada/ Envenenado em primeiro/ Raia de Puxe em segundo / Chileno na terceira posição / Embolera em quarto / Thunder Taio ficou pra quinto e em última posição passa Lilica Disbica.     

― Agora, César Augusto, os juízes vão ter que decidir se a corrida valeu e quem, de fato, vai vencer, já que os dois primeiros colocados cruzaram sem suas pipas. ―    

Parece que começou uma briga generalizada no Grande Prêmio Papagaio. Guerreiro estapeia Alamir / Roni cutuca o olho de Popolino / Dirrã, Jango e Cariacica se enroscam e os cavalos a paisana, ofegantes, sem entender nada.

― Começa a chover, César, e estão sinalizando que a corrida vai ser anulada! ―

Enquanto não sabemos o resultado, os cachorros se aquecem para a corrida de rabiolas, a Cachorriola. Lembrando que, ainda hoje, teremos a transmissão do décimo primeiro desfile de cavalos trabalhados no papel de seda. Vamos para um rápido intervalo e na volta o nosso comentarista Adoniran vai analisar a corrida.    É já, já.          

***
O velho Lotário girou o botão do radinho de pilha e soltou um suspiro demorado.

― Por que desligou? O senhor apostou no Envenenado, não foi? Te dei o dinheiro ontem, Seu Lotáaaario… Seu Lotáaaario…

O rapaz não gritava, apenas queria enfatizar o tom de crítica. Edson estava cuidando do idoso há nove meses e eles se davam bem. Conversavam bastante e haviam adquirido uma sintonia quase que de avô e neto.

― Não vão dar o troféu pro Envenenado. Você não ouviu? Estavam sem pipas!

― Ganhou, sim, Seu Lotário… Liga este rádio pra gente saber.

― Ainda vamos ter meia hora de comerciais, meu filho…

― O Senhor apostou, não apostou?

Observando o olhar do ancião que demorava-se a fitar o chão do quarto, estudando as rachas da madeira do assoalho, Edson teve a certeza:

― Não apostou!

O rapaz levantou-se de um salto, começou a andar de um lado para outro dentro do pequeno quarto, com as mãos na cabeça, tinha ganas de arrancar os cabelos. Quantas vezes ele deu dinheiro a Seu Lotário e o velhote bebeu a aposta. Embora não fosse alcoólatra, não lhe era permitido beber em casa.

― Está frio e preciso esquentar o corpo, meu rapaz. Entende? Não posso pegar uma gripe nessa idade…

Edson saiu do quarto. O velho ouviu-o praguejando na cozinha enquanto acendia o fogão e fazia barulho com a porta do armário e com as xícaras. ‘Está bravo.’ Pensou e balançou a cabeça em negativa. ‘Jovens…’

O rapaz voltou com uma xícara de leite quente nas mãos.

― Seu leite, Seu Lotáaaario. Para não tomar o remédio de estômago vazio.

― Você sempre repete isso, é papagaio?

― Ah.. nem me lembre.. nem me lembre… A gente poderia estar rico agora, eu sabia que o Envenenado ia encabeçar mais essa!

― Que nada! Você escolheu qualquer um. Entende nada de corridas.

― Não entendo, é? Mas ganhei e se o senhor tivesse apostado…

― Não vai valer. Estavam sem as pipas!

― Estavam é sem o whisky aguado que o senhor tomo.

― Seu Lotário, vamos ouvir o GP Papagaio. Liga aí de novo.

O velho apenas balançou a cabeça afirmativamente com um leve sorriso.

―  Desta vez não haverá surpresas nem desvios de rabiolas, o Pacificador do jóquei vai arrebentar todos os balcões de apostas.

O que o moço Edson não sabia era que seu velho amigo sempre apostava em Lilica Disbica. E não havia whisky batizado que lhe fizesse quebrar este ritual.

― Oh, Deus, esqueci de apostar na Cachorriola!

“Uma vez mais, amigos ouvintes, aqui na rádio Requinte, AM 890..."

        

Continua?



  * por Sérgio Ferrari e Anorkinda Neide          

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

AS PENÚLTIMAS ESPÉCIES


Aviso: risco de extinção!








CHEGARAM OS LIVRETOS MAIS IMPORTANTES DA HISTÓRIA DO AMBIENTALISMO. VERDADEIRO RESGATE DE REPRESENTATIVIDADE DESTAS ESPÉCIES AMEAÇADAS, OBSCURAS, DITAS FOLCLÓRICAS, MAS, PELA AÊ AFORA, NO MUNDÃO COSMOPOLITA CRUEL.


E O CASO É QUE  VOCÊ PODE TÊ-LAS EM CASA PARA SEMPRE, SEM DANIFICAR OS BICHINHOS. AJUDANDO, SEM SER ECO CHATO. MUITO VALE, GENTE. ACESSEM A LOJA NA TANLUP.

SÃO VÁRIAS EDIÇÕES PEQUENINAS, CHARMOSAS, BARATINHAS, COLECIONÁVEIS, AMOROSAS, RAPIDINHAS, DECORATIVAS E COM ASTROMIAU INSIDE. YES!

COLEÇÃO PENÚLTIMAS ESPÉCIES

COMPRE AQUI! 




COMPRE AQUI! 


quarta-feira, 20 de julho de 2016

Ensaio

—Toca aquela.

— Canta um pedaço pra eu lembrar...

"Tiro Ao Álvaro, se eu perder esse trem, que parte agora, Nossa Senhora, nos de a mão, assassinaram o camarão..."

segunda-feira, 20 de junho de 2016

TRIBUNAL DO CÉU DA SUA BOCA









*****

Tu foste acusado (estalo) de arruinar (estalo) o encontro do dono deste corpo. (estalo). TRÊS (estalo) DIAS SEGUIDOS! (estalo, estalo)

Jamaissss! Ssssssou aquele que vai e vemmmm. Frequento res (SSSSS) piros que ninguém aqui viu. 

Nossas coroas estão sufocadas de teus males, Mau hálito! (estalo, estalo, estalo, estalo)

SSSSSSSSSSSSSSSSS Com que provasss? Por acaso não passsssa por vosssssssa consssssciiiiiênciiiiiia que fossssste tu que flertou com o obscuro mundo dos aromassss? E teu amarelão pegajossssso nada tem a ver? Provassss-te bossssssta? 

(estalo, estalo, estalo, estalo, estalo, estalo, estalo) Pr...Pr..Pré-mo-mo-molares com a palavra.

Decidimo-nos por nada mais triturar. Até que a Língua resolva o problema.

Pois bem! (estalo) O ser que insistir (estalo) em tão soturno (estalo) chorume aqui nesta casa, é, como costume milenar, (estalo) sujeito a ter o templo destruído (estalo) pela morte estomacal. Consequentemente, defunto. Consequentemente, putrefato. (estalo) Consequentemente, os dentes terão uma jornada eterna (estalo) no gélido túmulo de ossos. Com a palavra, segundo molar.
Confabulamos... Que seja o falecimento geral posto em prática. Auscultamos rumores de concordância vindos de diversos órgãos.

SSSSSSSSSSSSSSSSSSSPEREM! Tilinta a egoissssta goela! ssss

QUEM VEM LÁ? (ESTALO)

"SOU" "EU" "AMIGOS" "ENXAGUANTE" "BUCAL" "SEM ÁLCOOL". (chuá, chuá, chuá) 

É tarde! (estalo) O tribunal tomou a decisão. Mau hálito condenou a todos nós (estalo)

(chuá, chuá, chuá) 

SSSSSSSSSSSSSTOU LIVRE DO MALIGNO AAAAAHHHHH SSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

Dentinas estão (estalo) gritando? Coroas, o que se passa?

Melhoras, senhora Língua. O Mau Hálito é agora Bom Hálito.

SSSSSSSIM. E trago noticiassssss de quando essstava posssssuído de vilanesssscosss aressss. Dessssscobri que o problema era messssmo a ssssssaburrra encrusssssstada sssssssss NA LINGUA.

ÓÓÓHHHH

(ESTALO) MENTIRA!

Bom hálito não se engana, querida Língua.

(ESTALO, ESTALO) Cala-te, Canino.

"ADEUS" "AMIGOS" chuá, chuá. 

Olhem sssssssó quem vem lá!

(ESTALO) SOCORRO! RASPADOOOOOOOOR!

&fin&

(Este conto é um SponsorPunk e pode ter o nome de sua marca de higiene bucal atrelado a história. Entre em contato para conhecer nossa tabela de valores.)

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Rapidinha 1

O Betino voltou pra terrinha e estava de papo com o Godim no bar.

"...e segunda feira andando em sumpaulo perdi a cartera".

"Ié, Betino?"

"É. Pesar de ter virado a paulista, num achei a mardita."

"Í na terça?"

"Na terça, bife a rolê."

quarta-feira, 8 de junho de 2016

TEMER TRUMP


Estela cálculou sua chance de atravessar com sucésso o pequeno abismo que surgirà á sua frente. "Desfávoravel", pensou ao espremer o tenis nos detritos da beirá. Éra o ultímo obstaculo em seu trajeto para ser a primeira mulhér a cruzar à linha do meridiâno Temer-Trump. "Dêveria têr avisado alguém. Deveria ter chamado à mídia." Preocupava-se por não deixar um legado de coragem e força para um ato tremendo como aquêle.

Ela sentôu e desamarrou a vassoura das cóstas. A iminência de um tiro em sua cabeça lhe dava máis furía do que lhe alcançava o pavor. Bateu com o cabo na rocha e ela mostrôu-se sólida. "E o outro lado?" Arremessou a maçã que escolhera na véspera para o outro ladô. "Não foi uma boa ideiá". De pé, montôu na vassoura e impulsionou o corpo para frente. "A aguá é mêu sãngue, o ar é minha respiraçâo..." Voou. Voou seu limite Wicca. Trinta segundos, dois metros pra cima, um metro á frente. Eis o ôutro lado. O temerário meridiano de Temer-Trump fôra cruzado pelo ser do sexo feminino.

O instrumento de voo tremeu e partiu-se pouco antes do pouso. Ela caiu na borda que não era de rocha. "Quantas pessoas sabem dessa verdade?" Pilhas e pilhas de cheques cruzados, bilhões deles amontanhados a perder de vista. "As pessoas ficariam enojadas". A parte mais dificil era cruzar o abismo. Apenas mais um confronto a aguardava. E, de nuvens densas púrpuras que salpicavam águá morna nos cheques, deflúviou a gigante cabeça dourada, cantarolando bordões macho-psicóticos. "All oppression creates a state of war, brazilian Woman. There's no woman as brazilian woman. You can ask around."

Estela passou a afundar na montanha. Sua mente girava em uma vertigem acentuada pelos tremores que vinham simultaneamente das nuvens e das trevas que lhe aguardavam no solo.
Uma segunda cabeça brotou, não do céu, ao seu lado, o rosto riscado, os fios grisalhos gigantes lhe roçando o nariz. Dela, sobravam os olhos estarrecidos, acima de uma importância ao portador de duzentos e noventa milhões. O anasalado da voz da cabeça velha arremeteu suas palavras junto a gargalhada que vinha das nuvens. "O governo está empenhado em governar a polis do mundo.Temos que estar atentos, dar-lhes a importância devida. Não se faz política com o fígado, madame."

"Com licença? Alô? Com licença, moça, seu acento está errado!"

Estela piscou pela primeira vez nos quatro minutos em que ficara vibrada no palanque repleto de microfones.

"Com licença, você sentou em minha cadeira. Meu nome está aí. Você é jornalista? Não tem acento para você? Vou ter que tirar seu acento."

Ela olhou para o jovem que lhe cutucava.

"Não encontrei meu acento. Tem algo errado, porra. Tem algo errado."

O jovem recuou e buscou de queixo alto por um dos muitos seguranças. Palmas. Entravam os dois presidentes. A primeira coletiva Temer-Trump tinha início.

"You first. Hey, hey, woman... Oh, well, you can ask around."

Estela não sabia o que perguntar. Era sua vez, trinta segundos. Pressionada, saiu correndo do salão.

"Que atitude drástica".

Dois seguranças seguiram-na, a desejo de um comando sussurrado em seus ouvidos grampeados.
Lá fora, antes de ser agarrada pela cintura, Estela viu dezenas de carretas manobrando no pátio. Chegavam os talões.

sábado, 2 de abril de 2016

Arquitetura inteligente anti-cobiça:


A casa perfeita tem que parecer um barraco podre na frente.
A porta decrépita, as janelas empoeiradas, o quintal com o jardim abandonado e uma roseira com pulgões.
O primeiro cômodo tem que ter um sofá caqui e um armário cor de caramelo com televisão e garrafas de vinho Palmeiras embrulhadas no celofane.
De um lado, saída para um banheiro fedido e do outro uma saída para a cozinha, com mesa de tampo de vidro e pernas de alumínio que balançam sozinhas. 
Então, neste ponto começa a casa de verdade. Uma porta de submarino adaptada na parede da cozinha com um intrincado sistema de pressurização é a entrada principal. Dentro começa o verdadeiro palácio (imagine ai a casa dos seus sonhos).
O importante é camuflar a frente e as laterais.


Assinou o projeto, Astromiau.
Arts Insolites HOJE e não AMANHÃ

sábado, 19 de março de 2016

Nova Geração

O Millenial cosmopolita chegou na Av. Paulista pronto para encarar o cenário político revoltoso e foi logo chupando a borda de um megafone amarelo que lhe botaram na face.:


Eɪᴛᴀ ᴛʀᴇᴍ ʙãᴏ ǫᴜᴇ é ɪssᴏ, ᴍᴇᴜ, ᴛá ʟɪɢᴀᴅᴏ? Tᴏ ɴᴏ ᴍᴇɪᴏ ᴅᴏ ᴘᴏᴠᴀʀéᴜ ᴅᴇ ᴍᴀʟᴀ ᴇ ᴄᴜɪᴀ, só ɢᴇɴᴛᴇ ғɪɴᴀ. Os ɢᴜʀɪ ᴇ ᴀs ɢᴜʀɪᴀ ᴛᴏᴅᴏs ɴᴀ ɴᴏɪᴛᴀᴅᴀ ᴅᴀɴᴅᴏ ᴏ ᴍᴀɪᴏʀ ɢás. Nãᴏ ᴅᴏ ᴅᴇ ᴘᴀᴛᴏʟᴀ, ᴠᴏᴜ ʟᴏɢᴏ ᴘʀᴏ ʙᴏʟᴏʟô, ᴄᴏᴍ ᴜᴍᴀ ʙᴀɪᴛᴀ ɢᴜᴇʟᴀ ᴘʀᴀ ᴍᴇ ᴅᴇsᴛᴀᴄᴀʀ. É ɪssᴏ ᴀᴛé ǫᴜᴀɴᴅᴏ ᴇᴜ ʙᴀᴛᴇʀ ᴏ ᴄᴀᴄʜɪᴍʙᴏ. Aᴄʜᴏ ᴍᴀssᴀ ᴘᴀᴄᴀs ʙᴏᴛᴀʀ ᴘʀᴀ ǫᴜᴇʙʀᴀʀ. Cᴀᴅᴇɪᴀ é ᴘᴏᴜᴄᴏ ᴘ'ʀᴇʟᴇs. Sᴜᴀᴠᴇ ɴᴀ ɴᴀᴠᴇ, ᴠᴇɴʜᴏ ᴀǫᴜɪ ᴅᴇᴢ ᴘʀás ᴅᴇᴢ, ᴅᴇᴛᴏɴᴀɴᴅᴏ ᴀ ᴄᴏʀʀᴜᴘçãᴏ. Dᴇɪ ᴄʜᴇᴄᴋ ɪɴ ɴessᴀ ʀᴇᴠᴏʟᴜçãᴏ, ᴀᴄᴇʟᴇʀᴀɴᴅᴏ os ᴍᴇɢᴀʙʏᴛᴇs ᴅᴇ ᴘᴜʀᴀ ᴛᴇʀᴀɢɪɢᴀçãᴏ. Pᴇsᴄᴏᴛᴀᴘᴀ é ᴘʀᴀ ᴍᴀʟᴜᴄᴏ ᴜʟᴛʀᴀᴘᴀssᴀᴅᴏ, Aʟʟᴀʜᴜ Aᴋʙᴀʀ , sᴏᴜ Aᴋɪʀᴀ Tᴇʀʀᴇᴍᴏᴛᴏ, ᴏ ʀᴇɪ ᴅᴀ ᴇxᴘʟᴏsãᴏ. ...Cuidado.

terça-feira, 8 de março de 2016

Comeu?



Primeira noite do Palhaço Palhacitos no presidio.  
Todo mundo sorrindo na manhã seguinte.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Hit Tardio

Alô, Salvador? 

 

Cadê mãezinha?

 

 O quê que adocica a Pipoca Doce? 

 

Ela estoura no tambor como  doce, doce, doce, doce. 

 

E faz um barulho assim: Brá Cundum! Brá Cá Dá! 

 

Di qui bom iê iê, bom iá iá. Brá Cundum! 

 

Brá Cá Dá! Brá Cundum! Brá Cá Dá! Brá Cundum!

 

O quê que adocica a Pipoca Doce? 

 

Ela estoura no tambor como  doce, doce, doce, doce. 

 

Brá Cá Dá! Brá Cundum! Brá Cá Dá! 

 

Di qui bom iê iê, bom iá iá. Brá Cundum! Brá Cá Dá!

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

.

.

"Se os cavalos andassem como siris, toda a história da humanidade dependeria da invenção de pastilhas contra enjoo".


.
.